logomarca

Gênesis

imprimir tamanho da letra: A- normal A+

Cap 1 – Deus é o criador do universo. Fez tudo pela palavra do seu poder. A criação aconteceu no período de seis dias. O dia é marcado com tarde e manhã, pode ser: um tempo ou Era. Não propriamente 24 horas. No primeiro dia: a LUZ. Segundo dia: Céus. Terceiro dia: Terra seca, com erva verde, com variedades de sementes e de árvores frutíferas e mares. Quarto dia: Sol e a lua para definir tempos de festas, anos e dias. Quinto dia: Peixes variados, monstros marinhos ou baleias e aves variadas. Sexto dia: Gados, feras, répteis, o homem e a mulher feitos à imagem e à semelhança de Deus. É interessante que o verbo usado para criar, é atribuído somente para Deus. É o termo hebraico bara(hb): criar ou tirar do nada. Deus em cada dia usou essa expressão: E viu Deus que é bom. No sexto dia disse: Eis que é muito bom. A ordem para o homem é cuidar do mundo e dos seres viventes. As alimentações do homem e dos animais eram vegetais e frutas. Deus abençoou com a ordem: Frutifique, Multiplique e enche, para as aves, peixes, os animais e o homem.

Cap 2 – A criação acabou no dia sexto. Porém, Deus trabalhou no sétimo e depois descansou da sua obra. Então, apontou para o descanso eterno, que é em Cristo Jesus. A palavra cessar, acabar e repousar é shabat, que traduzida será sábado. Deus formou Adão do pó da terra, como oleiro faz um vaso. Soprou o espírito em suas narinas e foi uma alma que vive. Plantou um Jardim no Éden (significa: presença de Deus), para guardar e cultivá-lo. Várias árvores boas para comer, no centro a árvore da vida e a árvore do saber do bem e do mal. O preceito divino foi dado ao homem, tem liberdade, porém, tem consequência. Então, comer da árvore do bem e do mal produz separação espiritual e física da relação com o Criador. O homem colocou nome a cada animal para identificação e propósito. Porém, estava sozinho e Deus fez dormir e retirou uma esposa, que o homem afirmou: é igual a mim mesmo, logo, auxiliadora em sua presença. Houve a instituição da união entre homem e mulher, para constituir família. O casal era inocente e estavam nus.

Cap 3 – Satanás a antiga serpente teve um diálogo para seduzir os sentidos da mulher para comer o fruto da árvore do saber do bem e do mal. A alegação foi que não morreria e seria como Deus, sabendo o bem e o mal. Comeu da árvore que é desejo para carne, os olhos e soberba da vida. Ofereceu a Adão e comeu, logo, viram que estavam nus e fizeram roupa de folhas. A voz de Deus (Cristo) apareceu no jardim para encontrar com o casal. Chamou-o e Adão apareceu, contou-lhe a sua transgressão. O diabo foi amaldiçoado para alimentar das obras carnais humanas, e ser humilhado ao rastejar. Tornou-se o inimigo da raça humana, o descendente da mulher (Jesus) derrotaria na cruz, esmagando o seu império das trevas. A mulher recebeu dores de parto aumentadas e o seu desejo para o marido. A terra foi amaldiçoada por causa da desobediência de Adão. As consequências: aflições, fraquezas, dores, enfermidade e a morte até voltar a terra. Vestiu o homem com pele. Em razão disso, o casal foi lançado fora do Jardim para não comer da árvore da vida. O querubim guardou o jardim com espada flamejante. 

 Cap 4 – Adão e Eva tiveram dois filhos: Caim lavrador da terra e Abel pastor de ovelhas. No final dos dias, Caim e Abel apresentaram as suas ofertas de gratidão para o Senhor. Caim ofereceu fruto da terra e Abel ofertou as suas primeiras ovelhas e as gorduras delas. O Senhor olhou e atentou para a oferta de Abel e não teve interesse na oferta de Caim. Por esse motivo, Caim ficou irado e o seu semblante decaiu. O Senhor repreendeu a Caim por essas atitudes; e ainda falou que o bem e o mal se encontram perto do coração, então, cabia dominá-lo para não pecar. Caim discutiu com Abel e o matou. O Senhor confrontou a Caim pela morte do seu irmão e não houve arrependimento. Logo, recebeu uma marca que ninguém poderia matá-lo, seria vingado sete vezes e saiu errante pela terra de Nod. A geração de Caim iniciou em: Enoque, Irade, Meujael, Metusael, Lameque, Jabal, Jubal, Tubalcaim. Lameque foi violento e matou um homem por apenas pisar em seu pé. Adão teve outro filho para substituir a Abel, que foi Sete. Sete gerou o filho chamado Enos, que invocou o nome do Senhor.  

Cap 5 – São dez gerações de Adão até Noé. O número dez representa uma congregação ou uma igreja. Será o número dos dez mandamentos da aliança mosaica. Adão foi feita a semelhança de Deus, como filho; macho e fêmea que Deus chamou-os pelo nome Adão. A representação era designada através da cabeça da família ou chefe. Nesse período antidiluviano os homens viviam muito tempo. A geração era formada de filhos e de filhas que povoaram a terra. A geração de Adão foi a seguinte: Adão que viveu 930 anos e gerou Sete que viveu 912 anos. Sete gerou Enos que viveu 905 anos. Enos gerou Cainã que viveu 910 anos. Cainã gerou Maalaleel 895 anos. Maalaleel gerou Jerede que viveu 962 anos. Jerede gerou Enoque que viveu 365 dias e o Senhor o arrebatou para viver do céu lado. Enoque gerou Matusalém que viveu 969 anos. Matusalém gerou a Lameque que viveu 777 anos. Lameque gerou a Nóe que tinha 500 anos. Noé gerou três filhos: Sem, Cão e Jafé. É interessante que Lameque profetizou sobre Nóe, que daria descanso para a terra que foi amaldiçoada. Tudo isso foi uma prefiguração de Cristo, que vai buscar a Igreja para um descanso eterno e recriar uma nova terra e novo céu.

Cap 6 – Os filhos de Deus e os filhos dos homens corromperam a terra. De modo que o Espírito de Deus não vai habitar no homem, por motivo que é inclinado ao mal, o tempo foi de 120 anos. Havia gigantes nesta época, guerreiros afamados. O mal do homem é continuo no seu interior e a violência aumentada. Deus ficou entristecido com a terra e decidiu destruí-la. Todo ser vivente foi extinto. Noé achou graça diante de Deus. Na sua geração foi encontrado Justo, integro e andava com Deus. O dilúvio foi predito sobre a terra. O Senhor deu a ordem para construir uma arca de madeira revestida de piche, do tamanho de 135 metros de comprimento, 22,5 metros de largura e 13,5 metros de largura.  A aliança se consistiu na salvação da família de Noé e a entrada de cada casal animal.  Pediu para ajuntar mantimento para o período de dilúvio.

Cap 7 – O Senhor ordenou a Noé entrar na arca com a sua família, sendo o total de 8 pessoas. Levariam sete casais de animais puros, um casal de animais impuros e sete casais de aves, para conservar a vida. Os animais vieram e o Senhor fechou a porta. Depois de 7 dias, o dilúvio aconteceu. Foi no 2º mês e 17º dia, Noé tinha 600 anos, choveu durante 40 dias e 40 noites. As águas cobriram as montanhas na altura de 7 metros. Logo, destruiu todo ser vivente, homens e aves. O dilúvio durou 150 dias.

Cap 8 – O Senhor lembrou-se de Noé e dos animais que estavam na arca. O vento soprou e as águas foram diminuídas. No mês 7º e no dia 17º a arca repousou sobre o monte Ararate. Os altos dos montes foram vistas no mês 10º e 1º dia. Depois de 40 dias, Noé abriu a janela e soltou um corvo, que voou e dava voltas para encontrar terra seca. Após, soltou uma pomba, voou e também não encontrou e a recolheu junto de ti. Depois 7 dias soltou a pomba, a mesma voltou com uma folha de oliveira no bico. Espero 7 dias e soltou a pomba, a mesma não voltou. No ano 601, no 1º mês e no 1º dia, Noé tirou a cobertura da arca e viu que as águas secaram da terra. Deus ordenou que Noé, os seus familiares, e todos os animais, répteis, aves saíssem da arca. A ordem foi povoar toda a terra com seres humanos e todos as animais e aves.  Noé edificou um altar ao Senhor, ofereceu um sacrifício puro de animal e ave. O cheiro foi agradável a Deus, afirmou que não amaldiçoará a terra por causa da inclinação do mal do homem, pois é desde sua juventude. Enquanto a terra existir, plantio e colheita, frio e calor, verão e inverno, dia e noite jamais cessarão.

Cap 9 – Deus abençoou os três filhos de Noé para povoar a terra. Os animais, as aves e os peixes são alimentos para humanidade. O sangue é a vida do corpo, o sangue será cobrado. Então, que o homem não mate o outro. Deus estabelece uma aliança com a terra e todos os seres viventes. Não irá destruir a terra novamente por meio de dilúvio. Todas às vezes, após a chuva, vai ter um sinal entre as nuvens um arco e o Senhor verá, não trará o dilúvio. Noé plantou uma vinha, embebedou-se, e ficou nu dentro da tenda. O seu filho Cam viu sua nudez, contou aos seus irmãos Sem e Jafé. Trouxeram uma capa e cobri-o, não viu a nudez de seu pai. Depois que despertou soube o que o filho mais novo fez. Amaldiçoou Canaã filho de Cam, abençoou a Sem e também a Jafé. Viveu Noé após o dilúvio 350 anos e morreu 950 anos.

Cap 10 – A divisão dos povos através da descendência de Noé: Jafé são os povos da Europa. Cam são os povos da África e os povos cananeus. Sem é a descendência de Israel, os povos árabes e asiáticos.

Cap 11 –  Ninrode desobedeceu a ordem de Deus e edificou uma torre na planície de Sinar. Então, desceu o Senhor e confundiu a língua, espalhou os povos pelo mundo. A cidade foi Babilônia. A descendência de Sem:Arfaxade, Selá, Eber, Pelegue, Reú, Serugue, Naor, Tera, Abrão. A terra de Nascimento de Abrão é Ur dos caldeus, vieram para Canaã. Junto de Sarai sua esposa estéril e seu sobrinho Ló.

Cap 12 – O Senhor revelou-se a Abrão e fez uma aliança com ele. Esta aliança consistiu-se para ser uma grande nação, o nome afamado e para abençoar as famílias da terra. O que foi pedido: sair da sua terra, da sua parentela e da sua família. Abrão na idade 75 anos saiu com sua esposa Sarai, o seu sobrinho Ló, com os bens e com os servos adquiridos de Harã para a Canaã. Em Siquém manifestou-se o Senhor, então, Abrão edificou-lhe um altar e prometeu dar aquela terra à sua descendência. Entre as cidades de Ai e Betel, Abrão fez um altar e clamou ao Senhor. Houve fome naquela terra, Abrão foi para o Egito. Ficou com medo de ser morto, por causa de Sarai, que era bela. O plano foi que Sarai falasse que era sua irmã para não morrer. Os príncipes de faraó tomaram Sarai para o harém do rei. Abrão recebeu gados e servos por causa de dela. Porém, o Senhor castigou com pragas a faraó e sua casa. Em razão disso, faraó mandou embora Abrão do Egito.

Cap 13 – Abrão subiu do Egito com riquezas e voltou para Ai e Betel, onde tinha o altar e clamou ao Senhor. Ló também ficou rico. Em consequência, os pastores de Abrão e de Ló estavam brigando, pois, a terra não suportava tantas pessoas.Então, Abrão propôs a Ló, que escolhesse onde queria viver. Por motivo, que eram parentes próximos e deveria viver em paz. Ló cobiçou a terra de Sodoma e Gomorra, porque parecia o jardim de Deus e a planície de Zoar. Porém, os homens eram maus e pecadores. O Senhor falou para Abrão, observe a terra do norte ao sul, do oriente ao ocidente. Darei a ti e a tua descendência para todo sempre. A sua descendência será como o pó da terra, se puder contá-la. Ande por toda a terra, veja a sua extensão e largura. Mudou para Hebrom junto aos carvalhos de Manre e ali construiu um altar ao Senhor.

Cap 14 – Havia a aliança entre 4 reis, o qual Quedorlaomer era o líder. Os reinos eramde Sinar, de Elasar, de Elão, e de Goim. Depois de 12 anos, houve uma rebelião de 5 reinos. Foram os seguintes: de Sodoma, de Gomorra, de Admá, de Zeboim, e Belá (esta é Zoar). A guerra aconteceu no vale de Sidim (mar salgado), os 5 reis perderam para os 4 reis. Em razão disso, Ló sobrinho de Abrão foi preso e um escapou para conta-lhe o que aconteceu. Abrão saiu para regastar o seu sobrinho com 318 homens, e os seus aliados Aner, Escol e Manre. O seu propósito foi alcançado. Abrão encontrou com Melquisedeque rei de Salém, sacerdote do Deus Altíssimo, que lhe trouxe pão e vinho. Logo, abençoou-o pela vitória conseguida e Abrão lhe deu dízimo. O rei de Sodoma propôs que Abrão ficasse com os bens e ele não aceitou. Apenas a parte para os seus aliados dos despojos.

Cap 15 – Abrão estava com medo de uma retaliação. O Senhor apareceu e confortou o seu coração. Houve dúvida a respeito de seu herdeiro. Mas, o Senhor respondeu que não seria nenhum servo dele e sim, o herdeiro da sua carne. Chamou para fora e se puder, contasse as estrelas do céu, pois seria sua descendência. Acreditou e foi imputado como justiça. O Senhor falou que Abrão herdaria a terra. Mas, houve a dúvida, então, o Senhor pediu para fazer um sacrifico de animal e de aves. No entardecer, Abrão ficou com sono, o Senhor mostrou a sua geração na terra do Egito durante 400 anos. Mas, na 4ª geração voltaria com riquezas, para aquela terra. As 7 nações seriam expulsas da terra de Canaã. O forno de fumaça de fogo consumiu os sacrifícios cortados pela metade e o Senhor firmou a aliança com Abrão. 

Cap 16 – Sarai foi estéril e idosa, desejava dar um filho Abrão. Então, entregou a sua serva egípcia Agar, para coabitar com seu marido, a fim de que tivesse um filho através dela.  Abrão ouviu o seu conselho, ambos já estavam 10 anos em Canaã. Agar engravidou e desprezou Sarai.  Logo, Sarai reclamou com o Abrão, que para manter a paz, deixou Sarai decidir o que fazer com Agar. Sarai afligiu Agar que fugiu. Na fonte de água no deserto, o Anjo do SENHOR lhe apareceu e comunicou o propósito daquela criança no seu ventre. Tornaram-se grandes nações que são os árabes, que seriam prósperos e violentos. O nome que foi dado é Ismael (Deus ouviu). Ordenou que voltasse e se humilhasse diante da sua senhora. Aquela revelação apresentou a Deus, como: El Rói: Deus que vê. No poço que foi chamado Beer-Laai-Rói (Poço da Vida daquele que vê) entre Cades e Berede. Ou seja, Agar a egípcia viu Deus e o Deus a viu. Agar concebeu o filho, chamou-o Ismael e Abrão era de 86 anos.

Cap 17 – O SENHOR apareceu Abrão para mudar o seu nome. Revelou-se como El Shalday (Deus que tem vida em si mesmo). Abrão tinha 99 anos, para que andasse em sua presença e ser perfeito (tamim; que não tem defeito). Estabeleceu sua aliança para que se chamasse Abraão (Pai de muitas nações) e não mais Abrão (Pai Enaltecido). Reiterou a aliança da terra de Canaã para suas gerações como possessão perpétua. Mas, aliança se baseou na circuncisão de todos os seus descendentes. A circuncisão é o sinal feito entre as suas gerações, para designar que é povo do SENHOR.  Que é a remoção da pele no órgão genital masculino, que se chama prepúcio, de todo menino da idade de 8 dias. A circuncisão foi feita a todos da casa de Abraão que tinha 99 anos e Ismael tinha 13 anos, também aos escravos comprados e nascidos. Houve a mudança do nome de Sarai (Minha princesa) para Sara (Princesa), pois, foi mãe de muitas nações. Foi de Sara a herança de Abraão, que é Isaque (Ele rir), o qual Abraão no seu pensamento imaginou como um homem de 100 anos e uma mulher de 90 pode ter um filho. Pensou em Ismael, mas é o filho da escrava, e não o da promessa, que é Isaque.

Cap 18 – O SENHOR e dois anjos se apresentaram a Abraão, que insistiu para que permanecessem, para ser hospitaleiro com eles. Eram 12 horas, Abrão lavou os pés do SENHOR, ficou na sombra da árvore, o qual preparou pães, coalhada, leite e uma vitela para eles. O SENHOR perguntou por Sara que estava escondida atrás da tenda. Afirmou que em 9 meses teria um filho em suas mãos. Houve a dúvida de Sara, o SENHOR disse que não havia nada de impossível para ele. Os dois homens ou anjos foram para Sodoma para destruí-la. O SENHOR não quis ocultar de Abraão, porque seria fiel em tudo. Falou a respeito dos pecados daquela cidade. Abrão intercedeu para que não destruísse o justo com o ímpio. Afirmou o SENHOR que se tiver 10 justos não seria destruída.

Cap 19 – Ló hospedou os dois anjos. Os homens de todas as idades queriam abusar sexualmente dos anjos. Ló resistiu a esse pedido, ofereceu as filhas, porque estava debaixo da sua proteção. Então, ficaram irritados para matá-lo, considerava justo e juiz sobre eles. Os anjos feriram os homens com cegueira, puxou Ló e contou-lhe o propósito deles naquele lugar. Os anjos retiraram Ló, suas filhas e esposa, os genros não quiseram ir, pois, achavam que estava brincando. A esposa de Ló virou estátua de sal, olhou para trás. Fugiram para Zoar, o fogo e enxofre destruíram Sodoma e Gomorra. Depois, fugiram para as montanhas Ló e suas duas filhas. As filhas embebedaram o seu pai, pois, não havia homens para prolongar sua descendência. Os povos que geraram são:  Moabitas e Amomitas. 

Cap 20 – Abraão saiu para o sul e habitou em Gerar. Abimeleque tomou Sara para ser sua mulher. No sonho o SENHOR advertiu Abimelque que morreria. Por causa de que Sara tinha marido. Pois, o SENHOR viu a sua sinceridade e pureza de coração, por isso, para que não pecasse, não morresse e trouxesse mal sobre aquela nação que era justa. O SENHOR deu testemunho de Abraão como profeta e intercederia por ele. Reuniu todos os seus servos e relatou tudo que tinha acontecido. Chamou Abraão e perguntou: por que tinha feito isso. Afirmou o medo de morrer, não sabia que a nação temia ao SENHOR, e Sara era sua irmã por parte de Pai. Abimeleque deu servos, servas, ovelhas e vacas para Abraão. Ainda deu mil moedas de prata e avisou Sara que aquilo era o preço para que todos soubessem que ela era casada e inocente. Orou Abraão ao o SENHOR e sarou Abimeleque, sua mulher e suas servas. Pois estavam estéreis e o SENHOR terminou a esterilidade.

Cap 21 – O SENHOR deu filho a Sara, que colocou o nome de Isaque. Isaque desmamou, então, Abraão fez um banquete para festejar. Sara viu Ismael filha da Agar zombando de Isaque. Em razão disso, falou com Abraão para mandá-lo embora, pois, não seria o seu herdeiro e sim Isaque. Abrão ficou triste por esse pedido, mas, o SENHOR falou que ouvisse a palavra de sua mulher, pois a promessa é de Isaque. Por isso, despediu Ismael e Agar sua mãe para o deserto com pão e um odre água. Agar ficou com medo de ver a morte do filho, tinha acabado água e ficou sobre a sombra da árvore. O SENHOR ouviu a oração de Ismael, o anjo falou para Agar que Ismael seria uma grande nação. E mostrou o poço de água que beberam e encheram o odre. Cresceu o jovem, habitou no deserto de Parã, se tornou flecheiro e tomou uma mulher do Egito. Abimeleque fez aliança com Abraão para suas gerações, a fim de que não tivesse mentira entre eles e para não serem inimigos. Abraão tomou sete cordeiros para firmar aliança. O poço que era de Abraão foi tomado pelos homens de Abimelque, mas que foi restituído, que chamou Berseba, os quais juraram ali para aliança. Abraão plantou um bosque e chamou o Deus Eterno. Abimeleque e Ficol voltaram para a terra dos filisteus. Abraão peregrinou muito tempo na terra dos filisteus.

Cap 22 – Abraão foi colocado à prova pelo SENHOR. A prova se consistiu que oferecesse o seu único filho, Isaque, como oferta de sacrifício queimado ao SENHOR. Abraão preparou de madrugada o transporte, com dois servos e chamou Isaque. Ao terceiro dia o SENHOR mostrou o monte Moriá para o holocausto. Abraão subiu com o seu filho, que levava a madeira, o fogo e o cutelo. Isaque perguntou: Onde está o cordeiro? A resposta foi o Senhor proverá para ti, ou seja, JESUS como cordeiro de Deus. Quando preparou o altar, colocou o seu filho para matá-lo, o anjo gritou: Abraão, não mate o seu filho, agora sei não negou e teme a Deus. Abraão viu um cordeiro preso no arbusto e sacrificou. O monte foi chamado o Senhor proverá. O anjo se manifestou de novo e confirmou a aliança com Abraão. A descendência de Naor irmão de Abraão, a qual Betuel teve uma filha chamada Rebeca.

Cap 23 – Sara morreu da idade 127 anos em Quiriate-Arba  que é Hebrom. Abraão comprou da terra dos Hititas, nas mãos de Efom, a propriedade de Macpela para sepultura, que custou 400 peças de prata. Pois, declarou que era peregrino, fez o que é justo, apesar de todos reconhecerem como príncipe de Deus, não queria abusar daquele povo.  

Cap 24 – Abraão pediu o servo mais fiel que fosse a sua terra natal, para tomar uma esposa para Isaque. Não tomasse das filhas dos cananitas e não levasse Isaque para lá. O anjo do SENHOR iria adiante para que tivesse bom êxito. Logo, o servo jurou pondo a mão debaixo da coxa de Abraão. Quando chegou à Mesopotâmia, falou com o SENHOR que a moça virgem que oferecesse água para ele e depois para os camelos, fosse à esposa de Isaque. Assim, Rebeca a filha de Betuel que é filho de Milca e de Naor, da família de Abraão, foi à escolhida do SENHOR. O servo ofereceu presentes de joias, e foram para a casa dos seus pais. Contou o propósito daquela viagem, o engrandecimento de Abraão e Isaque o seu único herdeiro. Labão seu irmão era ambicioso, a comitiva ficaria somente aquela noite, para que no outro dia fosse embora. Rebeca entendeu e não permaneceu mais com sua família. Isaque orava no campo, perto do poço e avistou a comitiva. Rebeca viu e foi avisada que era Isaque, cobriu o rosto com véu. Isaque soube de tudo, levou a Rebeca para tenda da sua mãe, amou-a e foi consolado depois da morte da sua mãe.

Cap 25 – Abraão teve uma concubina por nome Quetura, teve filhos que foram para a terra oriental, são eles: Zinrã, Jocsã gerou Seba e Dedã, Medã, Midiã gerou Efá, Efer, Enoque, Abida e Elda, Jisbaque e Suá. Os filhos de Dedã foram Assurim, Letusim e Leumim. Abraão morreu da idade de 175 anos, foi enterrado em Macpela junto de Sara. Isaque recebeu toda herança e habitou junto poço Beer Laai Roi. Ismael morreu da idade de 135 anos. A geração de Ismael foram 12 filhos: Nebaiote, Quedar, Adbeel, Mibsão, Misma, Dumá, Massá, Hadade, Tema, Jetur, Nafis e Quedemá. Estabeleceram na região que vai de Havilá a Sur, na fronteira com o Egito, no caminho para Assíria. Isaque e Rebeca tiveram um casal de gêmeos, o primogênito Esaú e Jacó. Rebeca foi estéril, Isaque orou durante 20 anos. A Rebeca soube que eram duas nações, o maior vai servir o menor. Esaú foi caçador, e Jacó pastor de ovelhas. Esaú vendeu o seu direito de primogenitura pelo prato de guisado vermelho e lentilha para Jacó.

Cap 26 – O SENHOR apareceu a Isaque e falou para não descer para o Egito, por causa da fome. Revelou que todas as promessas feitas para Abraão foram passadas para ele. Ficou na terra de Gerar, como aconteceu com o seu pai, ficou com medo e não disse que Rebeca era sua esposa. Abimeleque descobriu e falou com Isaque, o mal que poderia vir sobre a sua nação e advertiu a todos para não tocar neles. Isaque semeou e colheu 100 vezes. Ficou muito rico, houve inveja dele, Abimeleque pediu que saísse e foi para o vale de Gerar. Taparam os poços de água, os seus nomes eram: Eseque (disputa) Sitna(Discursão) Reobote(lugares largos). Abimeleque fez uma aliança de paz, pois, reconheceu que o SENHOR era com Isaque. A cidade que ficou Isaque era Berseba. Esaú tomou duas mulheres cananitas e amargurou seus pais.

Cap 27 – Isaque ficou velho e cego, pediu que Esaú preparasse uma comida para abençoa-lo. Pois, o tempo de morrer estava perto. Rebeca ouviu e falou para Jacó passar por Esaú, a fim de que recebesse a benção do primogênito. Ficou com medo e ainda passar por enganador. A mãe disse que receberia a maldição. No entanto, aceitou a proposta. Jacó foi disfarçado, levou o alimento preparado pela mãe, então, recebeu a benção. Porém, quando Esaú chegou com a comida, não pode Isaque abençoa-lo, viu que foi enganado. Chorou Esaú desesperadamente e recebeu outra benção. Esaú planejou matar o seu irmão após o luto do pai. Rebeca o mandou ir embora para viver com Labão seu Tio na terra de Harã. Cap 28 – Isaque abençoou a Jacó, orientou-o para ir a Mesopotâmia na casa dos seus familiares e casar com uma das suas primas. As promessas de Abraão pertenciam a Jacó. Esaú tomou uma esposa da descendência de Ismael. Jacó obedeceu, saiu de Berseba para Harã. Dormiu sobre uma pedra, teve a visão de uma escada que os anjos subiam e desciam nela, uma porta que dava no céu, o SENHOR parado, apareceu e repetiu as promessas para Jacó e seria com ele nessa jornada. Acordou e falou que aquele local era tremendo, pois era Betel, fez um voto que daria o dízimo de tudo, se o SENHOR fosse com ele.

Cap 29 – Jacó chegou a Mesopotâmia, havia um poço de água que estava tampado. Raquel filha de Labão era pastora, veio dar água ao rebanho. Jacó ajudou, removeu a pedra e as ovelhas beberam. Após, beijou-a e chorou altamente. Jacó contou-lhe o seu parentesco com ela. Logo, Raquel falou com seu pai, que mandou chamá-lo, abraçou-o e beijou-o, e recebeu com alegria, pois era seu parente. Passou um mês, Labão falou com Jacó, para determinar o seu salário. Então, Jacó amava Raquel, propôs 7 como dote. Labão preparou um banquete para o casamento. A Lia a filha mais velha foi dada para Jacó, que somente soube no outro dia. Questionou a Labão, pois tinha sido enganado, porém, o costume era a mais velha casar primeiro. Então, o período de 7 dias daria a Raquel, por mais 7 anos de dote. A Lia recebeu a serva Zilpa, a Raquel recebeu Bila. A Raquel foi estéril e Jacó a amava. A Lia era desprezada por Jacó, mas o SENHOR lembrou-se dela e concedeu filhos: Rúben (Vê o seu filho), Simeão (Ele ouviu), Levi (União) e Judá (Louvado).

Cap 30 – Raquel estéril, invejada de Lia por causa dos seus filhos. Brigou com Jacó e pediu herdeiros. Jacó repreendeu-a, dizendo: só Deus pode dar filhos. Assim, Raquel deu sua serva Bila para que tivesse filhos por ela. Nasceram filhos: Dã (Julgamento) e Naftali (Minha luta). Lia então deu sua serva Zilpa para ter filhos com Jacó e nasceu Gade (Sorte) e Aser (Feliz). Rúben colheu mandrágoras e entregou sua mãe. Logo, Raquel queria as mandrágoras, então, houve uma discussão, pois Lia disse que Raquel queria o seu marido e agora mandrágoras. Logo, combinaram para que Lia tivesse relação sexual com Jacó. Nasceram dois filhos: Issacar ( Recompensa) e Zebulom (Dádiva) e uma filha Diná (Julgamento). Raquel teve um filho, que chamou de José (Ele acrescentará). Jacó desejou voltar para a sua terra. Pediu a Labão para entregar suas mulheres, filhos e o salário. Labão reconheceu que a benção vinha de Jacó. Labão enganou Jacó, escondeu os animais que seriam o seu pagamento. Porém, o SENHOR mudou esse engano, foi Jacó abençoado e prosperou muito.

Cap 31 – Jacó falou com suas esposas a insatisfação, a inveja e o tratamento de Labão e dos seus irmãos contra ele. Jacó em acordo com as esposas foram embora para a sua terra natal, após o aparecimento do SENHOR. Labão soube da fuga e foi persegui-los. Porém, o SENHOR advertiu num sonho para não fazer nada contra Jacó. No encontro de Labão e Jacó, houve a conversa a respeito da fuga. Os motivos foram que Labão enganou e prejudicou a Jacó. Labão acusou Jacó de levar tudo dele e os seus ídolos. Porém, o SENHOR mudou essa situação para Jacó, que trabalhou 14 anos por suas esposas e 6 anos pelo seu trabalho. Jacó não foi desonesto e foi irrepreensível. O ídolo estava com Raquel e não descobriram. Houve um pacto que foi simbolizado com pedras, o qual chamou o lugar de Galaad e Mitspa, a fim de que Jacó não prejudicasse os descendentes de Labão, que agora, são os seus descendentes. Passou à noite, Labão beijou todos os seus parentes e foi embora.  

Cap 32 – Jacó encontrou com anjos de Deus e chamou o lugar de Maanaim. Mandou seus mensageiros a Esaú em Edom, para avisá-lo da sua chegada. Voltava com gado, ovelhas, servos e família, para que pudesse recebê-lo. Eles falaram que Esaú vinha com 400 homens. Jacó ficou angustiado, separou 2 grupos para fugir diante um ataque de Esaú. Orou ao SENHOR para guardá-los, pois sentia medo de seu irmão. Pois o obedeceu, para que a promessa se cumprisse na sua descendência. Planejou aplacar a ira de Esaú com presentes, pois, seriam 550 animais diversos, que os seus servos apresentariam até o encontro com Jacó. Passou Jacó no vale do Jaboque sozinho pelo ribeiro. Lutou com homem até o amanhecer, pediu que abençoasse antes de ir. Este feriu a sua coxa e perguntou o seu nome, o SENHOR mudou de Jacó para Israel. Pois lutou com Deus e prevaleceu contra os homens.

Cap 33 – Jacó vê Esaú vindo com seus homens e com medo ficou, os seus servos iam à frente entregando os presentes. Colocou suas mulheres divididas e com os seus filhos em grupos. Inclinou-se 7 vezes até chegar ao seu irmão. Esaú correu, o abraçou e beijou e choraram juntos. Ele olhou para a família de Jacó e perguntou quem eram. Logo, se prostraram diante dele. E perguntou sobre os presentes que vieram. Jacó falou da sua prosperidade e que eram para receber o favor de seu irmão. Esaú disse que não necessitava e podia ficar com ele. Porém, insistiu e Esaú recebeu. Esaú falou com Jacó que fosse juntos até Seir. Contudo, Jacó preocupado com sua família e rebanho iriam devagar para que suportassem a viagem. Então, propôs que alguns da sua gente escoltassem, mas, Jacó disse que somente achasse graça diante dele e que não precisasse incomodar. Então, Esaú voltou para Seir, Jacó foi para sucote, fez uma casa e armou tendas para o rebanho. Chegou até Salém, cidade de Siquém, comprou uma parte da terra de Hamor, pai de Siquém por 100 peças de dinheiro. Edificou um altar e o chamou: Deus, o Deus de Israel.

Cap 34 – Diná saiu para passear e Siquém a forçou ter relação sexual com ele. Siquém se enamorou por Diná e desejou casar com ela. Pediu o seu pai Hamor, o heveu, para falar a Jacó o pai de Diná. Jacó soube do abuso, contou para os seus filhos que ficaram indignados e irados. No encontro Hamor propôs uma aliança com Jacó e sua casa. Ofereceu a terra para negociar, viverem e ainda as filhas para se aparentarem. Siquém falou que faria qualquer coisa para casar com Diná. Então, os filhos de Jacó com falsidade pediram que os homens de Siquém se circundassem para confirmarem a aliança. Eles resolveram isso na porta da cidade com todos os homens e circuncidaram. No 3º dia a dor estava intensa, Simeão e Levi foram à cidade, mataram todos os homens e saquearam os bens e aprisionaram os restantes. Jacó repreendeu-os seus filhos, pois, essa fama é desprezível, os povos em redor viriam para destruí-los. Eles responderam que Diná não seria vista como prostituta.

Cap 35 – O SENHOR ordenou que Jacó fosse para Betel. Jacó mandou que todos lançassem fora os seus ídolos e se santificassem para encontrar com o SENHOR. Ao saírem os povos ficaram com medo e não perseguiram Jacó. Em Betel apareceu o SENHOR e falou das bênçãos da aliança. O seu nome agora é Israel, dele haverá uma igreja de povos.  Raquel teve um filho que é Benjamim, morreu e foi sepultado em Efrata onde levantou uma coluna. Rúben teve relações com Bila, Israel soube. Os filhos foram:  De Lia: Rubén, Simeão, Levi, Judá, Issacar e Zebulom,  De Raquel: José e Benjamim, De Bila: Dã e Naftali; De Zilpa: Gade e Aser. Isaque morreu 180 anos na terra de Hebrom, Jacó e Esaú sepultaram.  

Cap 36 – A descrição das gerações de Esaú. Esaú casou com duas mulheres de Canaã: Ada e Aolibama.Também casou com Basemate filha de Ismael. Ada gerou Elifaz; Basemate gerou Reuel; Aolibama gerou Jeús, Jalão e Coré, todos nasceram em Canaã. Esaú decidiu sair da terra de Canaã e levou toda a sua família, bens e gados. Porquanto não era mais viável e não cabiam tantas pessoas, o sustento da terra não dava para famílias de Jacó e nem de Esaú. Então, foi morar na montanha Seir. Assim, nasceram descendentes de Esaú na terra Seir, houve príncipes que reinaram a terra de Edom, antes de haver rei em Israel.

Cap 37 – Jacó habitou em Canaã. O seu filho José contava-lhe os atos errados dos seus irmãos. Jacó amava José, fez uma túnica colorida. Pois era o filho da sua velhice. Os seus irmãos odiaram-lhe e não havia paz entre eles. José teve 2 sonhos e falou aos seus irmãos. O primeiro: 11 feixes se prostraram diante do feixe de José. O segundo: o sol, a lua e 11 estrelas se prostraram diante José. Eles ficaram com inveja de José. Jacó o repreendeu, mas, guardou esse sonho no coração. Israel enviou José para encontrar os seus irmãos e trazer notícias. Foi a Síquem e não os encontrou. Tomou informações que eles tinham indo para Dotan. Os seus irmãos viram e conspiraram para matá-lo. Diziam entre eles: lá vem o sonhador mor. Vamos matá-lo, lançá-lo na cova e uma fera comê-lo, veremos se terá sonhos. Rúben livrou-o da morte, pois desejou devolvê-lo para o pai. Tiraram-lhe a túnica e lançaram-lhe na cova. Sentados e comendo pão, viram uma comitiva ismaelita que ia para o Egito. Judá propôs vendê-lo para os comerciantes e falar que as feras o mataram. Venderam-lhe por 20 moedas de prata, mataram o cabrito e banharam a veste. Quando mostraram a Jacó a veste e contaram-lhe a mentira. Desesperou, rasgou a vestes e não aceitou ser consolado e que choraria até a morte. Os midianitas venderam José para um oficial do Egito, Portifar, capitão da guarda de Faraó.

Cap 38 – Judá desceu para Adulão e entrou na casa de Hira. Casou com Sua que era canaanita. Logo, Sua gerou três filhos, são eles: Er, Ornã e Selá. Judá conseguiu uma esposa para Er, se chamava Tamar. Er fez o que era mal aos olhos do SENHOR e morreu. Judá ordenou que Ornã tivesse um filho para suscita a descendência do seu irmão. Sabendo disso, Ornã em todas as relações sexuais, deixava o sêmen cair. Isto foi mal aos olhos do Senhor e morreu. Judá prometeu a Tamar a Selá, porém, era muito novo para casar. Porém, Judá se esqueceu de sua promessa depois que Selá ficou adulto. Pois, sua esposa Sua morreu e foi consolado. Subiu a Timna para tosquiar as suas ovelhas. Tamar soube do seu sogro, tirou sua roupa de viuvez, na porta da cidade Judá pensou ser ela uma prostituta. O preço seria um cabrito, logo, ela ficou com seu cordão e cinto. Após três meses foi notificado que Tamar estava grávida para Judá, que queria queimá-la. No entanto, mostrou os objetos de que a engravidou e então entendeu a sua justiça. Teve gêmeos: Perez e Zerá.

Cap 39 – O Senhor estava com José, tudo que fazia prosperava na casa de Potifar. Então, colocou como encarregado geral, logo, Potifar não preocupava com nada. A mulher de Potifar queria adulterar com José, pois era bonito. Porém, José declarou o seu respeito a Potifar, não podia pecar com Deus. Todas as vezes, ela tentava-o José, que sempre ignorava-a. No dia sozinho em casa, ela o agarrou, José saiu correndo e sua roupa ficou. Gritou e mentiu que o hebreu veio para abusar dela. Foi essa mentira que contou a Potifar que o entregou para ser preso. Na cadeia José caiu na graça do carcereiro, que confiou tudo em suas mãos e tudo que fazia prosperava.  

Cap 40 – O faraó prendeu 2 dos seus oficiais: chefe dos copeiros e chefe dos padeiros, por causa que lhe ofenderam. Na prisão que foram colocados, José foi responsável por eles. Numa noite, os 2 sonharam e ficaram angustiados. No dia seguinte, José percebeu e perguntou-os o que estava acontecendo. Contaram-lhe os sonhos. O chefe dos copeiros sonhou com uma videira que deu 3 ramos, que estava com cálice de faraó e exprimia a fruta e lhe dava. A interpretação foi que em 3 dias apresentaria a faraó e seria restituído o seu cargo. O chefe dos padeiros sonhou com três cestos acima da cabeça, um cesto cheio de bolos e pães, uma ave veio e comeu deste cesto. A interpretação foi que 3 dias apresentaria a faraó e seria enforcado. José pediu ao chefe dos copeiros que se lembrava dele e falasse com faraó o que acontecera. A palavra de José aconteceu e chefe dos copeiros foi restituído do seu cargo e outro enforcado, porém, esqueceu-se de José.

Cap 41 – Faraó teve 2 sonhos, os sábios e magos não puderam interpretá-los. O chefe dos copeiros contou lhe sobre José, quando interpretou o seu sonho e o seu comprimento. Faraó ordenou trazer a José, que se barbeou e trocou de roupa. Quando se apresentou diante de faraó, falou que a interpretação vem de Deus. Os 2 sonhos eram da mesma interpretação. 7 Vacas gordas e 7 espigas bonitas eram 7 anos de fatura no mundo, 7 vacas magras e 7 espigas secas eram 7 anos de fome.  A duplicidade do sonho era para acontecer rápido. José propôs um governador sobre o Egito, comandando supervisores para recolher 5° parte de cereal da terra, estocando em armazéns até passar à seca.  Faraó o elegeu, pois, reconheceu sua sabedoria e sobre ele o Espírito de Deus. Então, deu-lhe autoridade para que todos obedecessem apenas faraó estava acima. Uma carruagem saiu anunciando a posição de José que tinha 30 anos. Estava vestido de linho fino, anel do faraó, com uma corrente de ouro no pescoço, recebeu o nome de Zafenate-Panéia e teve por esposa Azenate, que lhe deu dois filhos: Manasses e Efraim.Passou 7 anos de fatura, começou 7 anos de seca, os egípcios compravam o trigo e outros povos vinham para comprar.

Cap 42 – Jacó enviou seus 10 filhos ao Egito para comprar trigo. José vendia o trigo, os seus irmãos se prostraram diante dele.  Então, os reconheceu, lembrou-se dos sonhos passados e começou interrogá-los asperamente. Acusando-os de espiões e desonestos, eles contaram-lhe do seu pai, do irmão morto, outro mais novo que ficou. José os prendeu 3 dias. Pois, propôs que voltasse com o irmão mais novo para confirmar a história deles. Os irmãos arrependidos falavam que estavam sofrendo por causa de José e da injustiça feita a ele. José saiu para chorar e voltou, escolheu Simeão e prendeu-o. Mandou embora, a fim de voltar e resgatar a Simeão, pois, temia a Deus e não queria que nenhum sofresse. No caminho eles descobriram a prata devolvida no saco de trigo. Quando contaram a Jacó tudo, ficou desesperado em enviar Benjamim e ele morrer.

Cap 43 – Acabou o alimento, Jacó falou para que os seus filhos buscassem mais no Egito. Contudo, não queria enviar Benjamim. Judá se responsabilizou em levá-lo e trazê-lo seguramente. Jacó enviou presentes e dobrou o dinheiro, a fim de que agradasse a José para o retorno dos seus irmãos. Quando chegaram ao Egito, José os viu, e ordenou seus servos levá-los para almoçar com ele. Simeão foi soltou para estarem com os outros. Quando estavam juntos na mesa separados dos egípcios e de José. José perguntava pelo seu pai e identificou o seu irmão Benjamim, os deixou e chorou. Na mesa eram colocados por idade, Benjamim recebeu mais comida e celebravam e bebiam a vontade. 

Cap 44 – José mandou que enchessem os sacos dos seus irmãos de trigo e colocassem prata. No saco de Benjamim pusesse a taça de prata. Saíram de manhã da cidade, José mandou seu servo abordá-los e interrogá-los a respeito do roubo. Justificaram que não roubaram, mas com quem se encontrassem, seria morto e outros seriam servos. Abriram os seus sacos e foi encontrada-a com Benjamim. Assim, rasgaram suas vestes, colocaram as cargas nos jumentos e retornaram até cidade. José acusou-os, pois, tinha feito o bem para eles e recebeu o mal. Pois, planejou ficar com Benjamim como escravo. Judá falou com José, a respeito da veracidade da história deles. Voltaram com o seu irmão mais novo, devolveram o dinheiro, explicou que o pai morreria de tristeza, se perdesse Benjamim como perdeu José. Portanto, Judá tinha prometido voltar com Benjamim, se não ficaria culpado. Judá propôs ficar no lugar de Benjamim como escravo, para não ver o sofrimento de seu pai.

Cap 45 – José ficou emocionado, mandou sair os seus servos e revelou-se aos irmãos. O seu choro foi alto, que os egípcios ouviram até a casa de faraó. Falou aos seus irmãos: eu sou José, que vocês venderam como escravo e perguntou pelo seu pai. Estavam pasmados e não responderam nada. Disse que não entristecessem e pesassem o coração. Porque Deus que o enviou para o Egito, a fim de que conservassem as vidas. Ainda teria 5 anos de fome e não teria colheita. Falem ao nosso pai que sou o governador do Egito, a glória que alcancei e que estou vivo. Desçam para buscá-lo, explique o plano de Deus para guardar os seus filhos, netos, pois serão cuidados e não pereceram de fome. E ficarão na terra de Gósen perto de mim. José abraçou a Benjamim e dois choraram. José beijou os seus irmãos e chorou, eles falaram com ele. A notícia chegou até faraó, que ficou contente, mandou enviar carruagens para buscar os parentes de José. Faraó propôs abençoar os parentes de José com o melhor da terra. Os irmãos de José desceram do Egito para Canaã, com as carruagens e os presentes recebidos. Contaram para Jacó sobre José, que quase morreu, mas, quando soube, decidiu ir para vê-lo.

Cap 46 – Jacó partiu para o Egito, antes passou por Berseba, sacrificou ao SENHOR, que apareceu à noite, dizendo: Pode ir para o Egito, estarei com você, te farei uma grande nação, José estará com você na sua morte. Subiu nas carruagens com todos os seus parentes, bens, gados e foram para o Egito. Foram 70 almas da família de Jacó. 33: Lia, 16: Zilpa, 14: Raquel, 7: Bila. Judá foi à frente para avisar José, para encontrar com Jacó em Gósen. Ele encontrou com seu pai e chorou por muito tempo, até que Jacó falou que podia morrer. José foi anunciar a Faraó a chegada da sua família e ofício deles. Pois, eram pastores de ovelhas, que era desprezível aos egípcios, assim poderiam viver em Gósen.

Cap 47 – José falou com faraó dos seus familiares. Quando se apresentaram a faraó, pediram permissão para viver em Gósen e realizaram o pastoreio de gado. Faraó concedeu, propôs se tivessem irmãos capazes para serem supervisores do seu gado. Depois, apresentou Jacó, faraó perguntou sua idade. Era de 130 anos na peregrinação como seus antepassados. Abençoou faraó e saiu da sua presença. José colocou-os na melhor terra, sustentou com mantimento e depois possuíram a terra. A fome aumentou e os egípcios não tinham dinheiro, então, José falou para trazer os gados. Aconteceu que depois comprou toda a terra do Egito e se tornaram escravos. O povo receberia sementes e as suas colheitas teria o imposto de 25% para faraó. Jacó viveu 147 anos, depois chamou José e pediu que jurasse que enterraria na sepultura dos seus antepassados. 

Cap 48 – Jacó ficou doente, José soube e foi visitá-lo. Jacó sentou-se para falar com ele. Lembrou quando o SENHOR apareceu em Luz, abençoando-lhe, afirmou que seria uma grande nação, tornaria uma igreja de povos e daria suas gerações à possessão de Canaã.Jacó falou que os 2 filhos de José seriam dele, apesar de terem nascido no Egito. Porém, os filhos de Efraim e Manasses seriam de José, isso por causa da morte de Raquel, voltando de Padã e sepultou no caminho de Efrata que é Belém. A visão de Jacó não era boa, não distinguia os netos. José pediu que os abençoasse, a mão direita seria sobre Manasses e a mão esquerda sobre Efraim. Foi ao contrário, Efraim recebeu a benção da primogenitura, houve uma insatisfação de José, pois, Manasses que tinha o direito de recebê-la. José receberia a benção dos patriarcas para serem multidões de povos. Jacó profetizou a saída do Egito e doou a terra de Siquém para José.

Cap 49 – Jacó chamou os seus filhos para falar sobre o futuro deles. Rubén meu primogênito, no vigor, excelente em poder e alteza. Mas, impetuoso, perderá esse direito, pelo ato de prostituir com a minha concubina.  Simeão e Levi não ficarão juntos, por causa da violência da espada. Mataram homens inocentes da terra Siquém. O furor e ira deles são amaldiçoados. Por isso, serão espalhados entre as tribos. Judá será louvado, os seus inimigos estarão em sua mão, à descendência de Jacó se curvará a ele. Judá é como leão, que prefigura a Cristo. O cetro da realeza não se apartará de Judá, até que o legislador venha, os povos congregarão e se submeterão a ele. Jesus é o legislador da nova aliança, pois, é a salvação o mundo. Jesus é descendente de Davi, que é da tribo de Judá. O jumento e a jumentinha junto à videira, o vinho que lavará as roupas e os olhos vermelhos e dentes brancos. São símbolos da humildade de Cristo, que na morte da cruz lavou os nossos pecados pelo seu sangue e a sua santidade de pureza. Zebulom será o porto de navios de comércio até Sidom. Issacar é como jumento forte, o qual está dividido, quando compreender o descanso, se curvará e servirá em trabalhos. Dã será um defensor de Israel, porém, será como a serpente para traí-los. A espera é pela salvação do SENHOR. Gade será atacado, mas atacará e vencerá. Aser será próspero e dará delicias aos reis. Naftali é livre como gazela, fala palavras agradáveis. José será frutífero, apesar da amargura e ódio, prevaleceu como guerreiro sustentado pelo forte de Jacó, pedra e pastor de Israel. As benções de José excederão as benções dos seus antepassados. Benjamim é com lobo, que devorará a presa e dividirá. Pediu para sepultar no sepulcro dos seus antepassados e expirou Jacó e morreu.

Cap 50 – José chorou a morte do seu pai, ordenou que os médicos o embalsamassem, duraram 40 dias, choraram 70 dias pelo luto. Subiram para Canaã com uma grande comitiva com egípcios, de menos crianças e animais. Houve um clamor dolorido, chamou o lugar de Abel Mizraim e enterram-lhe em Macpela. Os irmãos de José ficaram com medo de José castigá-los. Deram o recado que Jacó enviou a José, que deveria perdoar todo o mal que tinha recebido dos seus irmãos, José chorou. Quando os irmãos se apresentaram e se inclinaram, somos seus servos. Porém, José não se colocou no lugar de Deus, vocês planejaram o mal e o Senhor transformou em bem, para conservar em vida esse grande povo. José disse que vai cuidar e sustentar a todos houve paz no coração deles. José morreu com 110 anos, profetizou a saída do seu povo para a terra prometida e pediu que os seus ossos fosse levados juntos. Pois, foi embalsamado e recebeu um caixão no Egito.

 

 

 

Deixe seu comentário
Sem comentários cadastrados.